Problema com horário de verão no E-SUS AB

 

Na manhã deste domingo (20/10/2019), grande parte da população foi surpreendida pela atualização errônea do horário de verão em celulares e outros dispositivos, isso ocorreu por que o Decreto 9.722/2019 revogou o Decreto 9.242/2017 (e diversos outros decretos), que disponha sobre o horarário de verão, os quais estabeleciam períodos fixos para o inicio e término desde 2008, bem como as regiões abrangidas pela mudança.

Com base no antigo decreto, vários softwares/dispositivos estavam pré-configurados para tal mudança de horário, e o java 7 que é utilizado pelo e-SUS AB é um deles, após contato com o pessoal do laboratório Brigde, que presta suporte para o E-SUS AB, estes identificaram um problema com o timezone do java 7, e nos forneceram um passo-a-passo como deve ser feito para solucionar o mesmo, segue:

1 – Realizar o download do patch de atualização no link abaixo:

Windows:
https://arquivos.bridge.ufsc.br/AB/tz/esusab-tz-patch-2019-windows.zip

Linux:
https://arquivos.bridge.ufsc.br/AB/tz/esusab-tz-patch-2019-linux.zip

 

2 – Instalação do patch de atualização do timezone:

2.1 Mover o arquivo baixado para a pasta padrão do e-SUS AB PEC

2.2 Descompactar o arquivo .zip

Deverá ser utilizada a opção “Extrair aqui”, sem criação de sub-pasta;

2.3 Executar o pacote de instalação

 

Windows

> Executar o arquivo “esusab-tz-patch-2019.bat”
> Reiniciar o JBOSS após o processo ser concluído;

 

Linux

> Executar o arquivo “esusab-tz-patch-2019.sh”
> Reiniciar o JBOSS após o processo ser concluído;

Quando devo utilizar o “nome social” no E-SUS AB?

Uma dúvida recorrente entre os usuários do e-SUS AB é: quando se deve utilizar o nome social do paciente no sistema? após preenchimento do mesmo, em todos os processos onde utiliza o paciente, o nome social sera exibido.

Segundo a Carta dos Direitos dos Usuários de Saúde, datada de 2011, no inciso I do artigo 4º, é garantida a “identificação pelo nome e sobrenome civil, devendo existir, em todo o documento do usuário e usuária, um campo para se registrar o nome social, independentemente do registro civil, sendo assegurado o uso do nome de preferência, não podendo ser identificado por número, nome ou código da doença, ou outras formas desrespeitosas ou preconceituosas”.
Considerando as determinações da 13ª Conferência Nacional de Saúde (BRASIL, 2008) acerca da inclusão das orientações sexual e da identidade de gênero na análise da determinação social da saúde, a Portaria nº 2.836, de 1º de dezembro de 2011, que “instituiu, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), a Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (Política Nacional de Saúde Integral LGBT)”, busca garantir o uso do nome social de travestis e transexuais, de acordo com a Carta dos Direitos dos Usuários da Saúde supracitada.
Diante disso, para assegurar ao usuário o acesso universal, igualitário e ordenado às ações e serviços de saúde do SUS, conforme o Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011, que regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, foi criado o campo NOME SOCIAL nas fichas de Coleta de Dados Simplificada.

Ainda tem alguma dúvida? deixe seu comentário

Site Saudenopais.com

Saudenopais.com é um o portal de saúde que permite encontrar informações sobre o cnes e o sigtap quando os mesmos estão offline, o site utiliza o banco de dados do CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde ) para permitir avaliações e classificações de todos os estabelecimentos de saúde que atendem o SUS no Brasil, além de permitir encontrar informações detalhadas de cada estabelecimento, o sistema também permite filtro de estabelecimentos de saúde por estado e município.

O site também importa as tabelas do SIGTAP ( Sistema de Gerenciamento da tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS), onde estão detalhados todos os procedimentos disponíveis no SUS, alem de permitir consultar a relação de Procedimento x CBO ( Código de Ocupação Brasileira )

 

#cnes #sigtap #saude #saudepublica #brasil

Como trocar o administrador do E-SUS

Hoje vamos ensinar como trocar o administrador do e-sus, primeiro acesse http://localhost:8080/esus/#/pec/reset onde localhost é o IP do servidor onde está instalado sua aplicação e 8080 é a porta em que o serviço está rodando:

Informe o CPF do novo Administrador e o sistema irá gerar uma CHAVE, depois disso acesse o E-GESTOR 

E-GESTOR > SISAB > MUNICÍPIO > ACESSE O SISTEMA

Informe a chave que foi gerada e irá receber a contra chave.

Dúvidas estamos a disposição.

Consultoria, Implantação e Treinamento do e-SUS

Você já aderiu ao e-SUS? Não sabe por onde começar? A Rang Tecnologia tem a solução! Estamos presente em mais de 30 cidades, disponibilizando consultoria, implantação e treinamento do e-SUS.

Quer saber como a Rang pode ajudar seu município a estar de acordo com as novas diretrizes do Ministério da Saúde, visite rangtecnologia.com.br ou acesse nossa página no facebook.

 

 

 

Rang Saúde e o monitoramento da Saúde do seu município.

O Rang Saúde é um sistema de monitoramento que permite às administrações municipais acompanharem o andamentos da sua rede de Saúde.

Esse monitoramento acontece com a colaboração dos trabalhadores de toda a rede de saúde, registrando os mínimos detalhes dos procedimentos.

Para conseguir acompanhar todas essas informações, o Rang Saúde utiliza um sistema de estatísticas que pode ser acessado de qualquer dispositivo mobile.

Essa tecnologia permite um controle maior sobre a qualidade no atendimento e a possibilidade de melhora nas funções e etapas dentro da Unidade Básica de Saúde.

O Rang Saúde conta com uma tecnologia onde assim que os dados são lançados no sistema, isso é jogado para o banco de dados. Permitindo assim, o acesso as mais variadas informações, sendo que algumas delas podem ser acessadas pelos munícipes.

Essas informações que são disponibilizadas em tempo real, permitem que os cidadãos acompanhem como está a fila de atendimento dos diversos procedimentos da área da saúde, como consultas, exames e cirurgias.

Essa funcionalidade, que é aplicada desde o início do Rang Saúde e vem ao encontro de uma lei sancionada que torna isso obrigatório em Santa Catarina.

Sendo assim, o Rang Saúde previne fraudes como a seleção de pacientes para atendimento preferencial. Como encaminhamentos para procedimentos médicos na frente de pessoas que já estavam na fila, gerando mais transparência em todos os processos.

Você pode ler mais sobre essa lei e sobre como o Rang Saúde pode ajudar o seu município a se adequar, é só clicar aqui e ler o nosso post.

Outras funções do Rang Saúde

O Rang Saúde também permite que os administradores das secretarias de saúde do seu município tenham acesso a outras funções e informações.

Você consegue acompanhar todas as informações relativas aos TFDs (Tratamento fora de Domicílio) realizados no dia.

Com o Rang Saúde você concede segurança para as filas de tratamento do SUS e registra qualquer alteração nos status das consultas, exames e cirurgias. Estes e outros procedimentos são realizados por um sistema de Logs (registro eletrônico de atividades) que faz parte do Rang Saúde.

O Gerenciamento da Farmácia e dos estoques de ambulatórios e almoxarifado também podem ser feitos através do Rang Saúde.

Com essa ferramenta, você pode controlar também os seus fornecedores e licitações em todo o Brasil. Além de criar e gerenciar grupos de controle de dispensação e fornecimento de medicamentos contínuos.

O Rang Saúde permite o gerenciamento do transporte, fazendo o controle das viagens e das frotas. Além de analisar os custos de viagens e veículo, controle de multas e emissão de relatórios por motoristas, destinos e veículos.

Com todas essas facilidades e funcionalidades, o Rang Saúde contribui com a agilidade, organização, segurança e transparência nos processos das unidades de saúde da sua cidade.

Isso tudo foi pensado para deixar o seu mundo mais prático. Afinal, para a Rang essa é a função da tecnologia, trazer funcionalidades e inovações para ajudar a sua vida.

Entre em contato com a Rang Tecnologia e venha conhecer melhor as nossas soluções e como poder te ajudar. É só clicar aqui para acessar o nosso site e aqui para entrar e curtir a nossa página no Facebook.

O fim da Lei de Moore e o Futuro da Tecnologia

Você que gosta de tecnologia e computação, já deve ter ouvido falar sobre a Lei de Moore e a sua previsão da ampliação do processamento nos computadores. Mas se você não está muito familiarizado, vamos falar um pouco sobre essa “lei” e sobre o seu futuro e provável fim que está chegando.

A Lei de Moore

Usamos a palavra lei entre aspas antes, por que isso não é exatamente uma lei ou uma regra que precisa ser seguida pelo mercado, ela se encaixa mais como uma previsão. Em 1965 por Gordon Earl Moore, um dos fundadores da Intel Corporation, publicou um artigo na revista Electronics Magazine no dia 19 de abril, onde falava sobre a evolução dos processadores.

Neste artigo, Gordon Moore disse que a capacidade de processamento dos computadores (informática e tecnologias em geral) dobraria em média a cada 2 anos, sem necessariamente alterar o valor e o tamanho dos componentes internos dos computadores e, em alguns casos, até reduzindo esses valores.

Essa previsão foi feita com base nas observações feitas dentro da sua própria empresa, mas acabou guiando toda uma geração de pesquisadores e do mercado da tecnologia. Mesmo hoje em dia, mais de 50 anos após a publicação do artigo, essa lei sofreu apensa uma pequena revisão em 1975, dez anos após o seu lançamento, quando o período de evolução dos processadores caiu para 18 meses.

Benefícios da Lei de Moore para a tecnologia.

A divulgação da Lei de Moore foi muito importante para o desenvolvimento da tecnologia e dos processadores internos. Já que as empresas fabricantes entenderam essa previsão como algo possível e principalmente, executável.

Sem as empresas encararem essa necessidade de evoluir o processamento em um curto espaço de tempo, dificilmente teríamos os computadores que temos hoje e, por exemplo, os nossos smartphones, que cada vez mais estão menores, mais finos e mais potentes.

Para se ter uma ideia da importância dessa evolução gerada, uma matéria da Folha de São Paulo traz um dado muito interessante, sobre o iPad 2, lançado em 2011 e que já está ultrapassado hoje em dia.

Quando chegou ao mercado, custava US$400,00 e cabia no colo de qualquer pessoa. Com um processamento melhor que o mais poderoso supercomputador da década de 1980. O Cray 2, tinha o tamanho de uma máquina de lavar industrial e custaria algo em torno de US$15 milhões.

Mesmo com meio século, a lei continua trabalhando, mas vários especialistas mostram que ela está chegando ao final. Muitas empresas já estão trabalhando com microprocessadores mínimos, sendo quase impossível a diminuição dos tamanhos.

A Intel, empresa co-fundada por Moore, já está trabalhando com processadores e transistores na ordem dos nanômetros. Enquanto isso, no Vale do Silício, alguns cientistas estão a beira de conseguir manipular materiais na escala dos átomos. Isso deve acontecer em cinco anos, aumentando e muito a possibilidade de se atingir um limite na redução dos semicondutores.

Futuro da Tecnologia.

Pensando no futuro da computação, uma organização denominada Instituto de Engenheiros Elétricos e Eletrônicos, criou um novo sistema de previsão. Chamado Mapa de Rota Internacional para Aparelhos e Sistemas, pesquisa um número maior de tecnologias que possam ajudar a computação.

Os principais estudiosos dessa área acreditam que o possível substituto da Lei de Moore, pode ser a computação quântica. Que de forma resumida e simplificada, pode ser entendida como a aplicação das teorias da mecânica quântica aos computadores. Permitindo em teoria, computadores do tamanho de grãos de areia e com processamento superior ao de todos os computadores atuais.

Lógico que existem mais coisas por trás da computação quântica. Mas em tese, os computadores quânticos poderiam ser construídos a partir de fótons, nêutrons e elétrons, por exemplo. Essas partículas presentes nos átomos, dão uma ideia de tamanho e escala, mas realizam cálculos em velocidade impressionante.

Essa é a teoria mais aceita para se substituir a Lei de Moore, porém existem outras. Como o Grafeno, um material que pode ser utilizado na construção de processadores muito menores que os atuais.

Assim é a tecnologia, sempre se transformando para tornar o seu mundo prático, assim como a Rang trabalha. Se você tem interesse por tecnologias e soluções, acesse nosso site e nosso Facebook e venha conversar com a gente.

Lei torna obrigatória a divulgação de Listas de Espera da saúde.

A lei número 17.066 de 2017, aprovada pela Alesc – Assembleia Legislativa de Santa Catarina – e sancionada pelo Governo do Estado, no início de janeiro, tornou obrigatória a publicação das listas de espera dos mais variados procedimentos de saúde na internet, para acesso e acompanhamento pelos interessados.

Os pacientes, que poderão se identificar pelo número do CPF (Cadastro de Pessoa Física) ou pelo CNS (Cartão Nacional de Saúde), terão acesso as diversas listas de espera, enquanto aguardam por consultas de todas as especialidades, exames, intervenções cirúrgicas e outros procedimento de saúde que tenham sido encaminhados pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Essa divulgação das listas de espera via internet, ficará sob responsabilidade do gestor do SUS em cada esfera do Governo, nesse caso, a Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina, além do fato de que a lei, deverá ser afixada em local visível em todas as unidades de saúde, para que o público geral tome conhecimento de mais esse direito.

A iniciativa partiu do Deputado Estadual, Antonio Aguiar, que também é médico, e viu a necessidade de um sistema público de saúde mais transparente, onde as pessoas possam visualizar toda a sua situação e acompanhem a lista de espera de forma online e em tempo real, evitando assim, qualquer fura-fila.

O que agora se tornou lei em Santa Catarina, a Rang Tecnologia faz há tempos, desde o desenvolvimento e comercialização do seu sistema de gestão, o Rang Saúde, que proporciona a transparência e agilidade de informações para as Prefeituras, Secretarias Municipais de Saúde e para os Munícipes.

A Rang Tecnologia já atende vários municípios catarinenses através do Rang Saúde, que mesmo antes da Lei ser sancionada, já haviam aderido ao sistema, por entenderem a importância de uma gestão eficaz e assertiva das informações do município.

Com a escolha do Rang Saúde os municípios ganham mais transparência nas atividades das Unidades Básicas de Saúde e na gestão das consultas, exames e dispensa de remédios, já que o sistema conta com um portal onde o próprio cidadão pode acompanhar o status de seu atendimento, sua posição na fila de tratamento e qualquer mudança que venha a acontecer, facilitando a vida do munícipe e do gestor do SUS na hora de divulgar as informações exigidas por lei de agora em diante.

Além disso, o Rang Saúde consegue diminuir o tempo médio de atendimento no processo da criação de uma TFD (Tratamento Fora de Domicílio) de doze para apenas um minuto, gerando todos os comprovantes necessários. Também conta com módulos de Farmácia, Transporte e Produção, ou seja, o Rang Saúde pode ajudar a Gestão do Sistema de Saúde dos municípios como um todo.

Conheça mais sobre a Rang Tecnologia e o Rang Saúde através do nosso Site e da nossa Fanpage no Facebook. E entre em contato conosco para entender como podemos ajudar você e seu município a terem mais agilidade e transparência na gestão das informações e necessidades do seu sistema de saúde.

 

Município de Iporã do Oeste adere ao Rang Saúde

O município de Iporã do Oeste, localizado na região oeste de Santa Catarina, aderiu durante a última semana, ao sistema Rang Saúde e ao e-SUS, que é o sistema de prontuário eletrônico desenvolvido pelo Ministério da Saúde, para qualificar a gestão das informações nas unidades de saúde.

Essas mudanças estão acontecendo para trazer mais transparência, agilidade e qualidade nos atendimentos das unidades de saúde de Iporã do Oeste, automatizando os processos para que assim, os benefícios cheguem da melhor forma aos munícipes.

A equipe da Rang Tecnologia está participando da implantação dos sistemas na cidade de Iporã e fazendo o treinamento dos responsáveis por utilizarem o e-SUS e o Rang Saúde, com os dois sistemas começando a funcionar, o município terá um salto na qualidade das informações coletadas e analisadas, para assim, poder planejar a cidade e as formas de melhorar os atendimentos à população daqui para frente.

Falando especificamente do e-SUS, este sistema de prontuário eletrônico do Ministério da Saúde oferece suporte clínico ao cidadão com tecnologia avançada e integração dos sistemas de saúde, com uma coleta simplificada de dados, gerando menos fichas com mais informações individualizadas de cada munícipe, fazendo com que os relatórios de saúde e de atendimentos seja muito mais dinâmico e assertivo.

O e-SUS funciona em unidades básicas de saúde com ou sem computadores, fazendo a coleta dos dados de atendimento e de saúde de cada cidadão, compilando os atendimentos. Além disso, o programa permite fazer o controle da agenda dos médicos atuantes em cada UBS, gestão das listas de espera dos atendimentos e o controle da prescrição de medicamentos e de exames realizados.

Com a escolha do Rang Saúde o Iporã do Oeste irá ganhar mais transparência nas atividades das Unidades Básicas de Saúde e na gestão das consultas, exames e dispensa de remédios, já que o sistema conta com um portal onde o próprio cidadão pode acompanhar o status de seu atendimento, sua posição na fila de tratamento e qualquer mudança que venha a acontecer, evitando assim que alguém fure a fila e passe na sua frente.

O Rang Saúde com a utilização do e-SUS permitirá que o município de Iporã do Oeste acompanhe em tempo real todas as estatísticas e informações do que está acontecendo dentro da unidade básica de saúde selecionada. Como a quantidade de pacientes aguardando por atendimento, o tempo de permanência de cada paciente na UBS e as informações das filas.

A escolha da gestão de Iporã do Oeste pelo Rang Saúde se deu muito pela busca de transparência e agilidade nos atendimentos da secretaria de saúde, já que em algumas cidades, o Rang Saúde conseguiu diminuir em até 60% o tempo de espera por um atendimento dentro da unidade de saúde, diminuindo também, em alguns casos, de doze para apenas um minuto o tempo de criação e encaminhamento de um TFD (Tratamento Fora de Domicílio).

Uma das grandes novidades que o Rang Saúde trará para Iporã do Oeste e seus moradores, como já citamos acima, é a possibilidade de o cidadão conseguir acompanhar o status de suas solicitações. Isso faz com que os munícipes tenham mais controle sobre o que está acontecendo na unidade de atendimento.

Essa é mais uma parceria que a Rang Tecnologia está começando, quer saber mais sobre o Rang Saúde e nossas outras parcerias? Acesse www.rangtecnologia.com.br e entenda como a Rang cria tecnologias que tornam o mundo mais prático.

Como a Internet das Coisas pode revolucionar o mundo digital.

Em 1964, Marshall McLuhan publicou o seu livro Understanding Media: The Extensions of Man (traduzido para o português como: Os meios de comunicação como extensões do homem).

Nesta obra, o autor mostrava como já naquela época, as pessoas utilizavam as tecnologias e dispositivos como extensões de seus próprios corpos.

Se pararmos para pensar, esse livro faz uma análise daquela época, mas pode muito bem ser interpretado como uma previsão de como as pessoas iriam agir no futuro, afinal, você se imagina vivendo sem o seu celular ou o seu computador? Não parece que falta uma parte de você quando você sai de casa e esquece o seu smartphone?

Se você se interessou pelo livro do McLuhan, você pode clicar aqui para comprar o seu ou então clique aqui e veja a prévia de algumas partes desse livro no Google Books.

Esse livro pode ter servido como inspiração para pessoas que desenvolveram inúmeras inovações que hoje em dia fazem parte do nosso cotidiano e que inspiraram a gente para escrever esse post e falar um pouco sobre a tão falada Internet of Things (IoF) a Internet das coisas em português.

Esse termo surgiu com Kevin Ashton, professor e pesquisador do famoso MIT, Massachusetts Institute of Technology. Com a intenção de pesquisar sobre sobre os dispositivos se conectam à internet, a Internet das Coisas começou com o conceito de que todos os objetos computadorizados podem estar interligados e coletar os seus dados de formas diferentes.

Algumas tecnologias e algoritmos podem fazer com que esses objetos, sintam, vejam, aprendam e se relacionem com outras tecnologias e com as pessoas, seguindo a linha do Deep Learning, que falamos aqui no blog neste post.

Essas tecnologias estão mudando muito o nosso mundo e a forma como nos relacionamos com pontos naturais do nosso cotidiano, incluindo nós mesmos, como pessoas.

A Cisco, gigante mundial no campo da tecnologia, trata a Internet das Coisas como a próxima revolução da internet, causando inúmeras revoluções menores em outros campos, como a saúde e a educação. Se você quiser ler mais sobre a visão da Cisco sobre a IoT clique aqui e leia um ótimo artigo produzido por eles.

Não só a Cisco, mas inúmeras outras empresas ligadas a tecnologia estão estudando sobre a Internet das Coisas e mais do que isso, estão desenvolvendo produtos e serviços baseados na metodologia da IoT, a Microsoft por exemplo, anunciou um sistema operacional gratuito para dispositivos que venham a trabalhar com a IoT e ajudar a divulgar e difundir essa metodologia.

Já existem tênis que se conectam com APPs dos smartphones e fazem a contagem dos passos que a pessoa dá, além da leitura do trajeto desenvolvido, isso tudo para auxiliar na manutenção da saúde e melhora do bem-estar das pessoas.

Outra utilização da Internet das Coisas é por exemplo, a leitura dos dados de quantos carros estão passando pelas rodovias e assim, indicar para os aplicativos de GPS a melhor rota para se chegar aos locais sem pegar um trânsito pesado.

Podemos falar também sobre a moda dos dispositivos vestíveis e conectados, os mais famosos são o Google Glass, que prometia revolucionar o mundo com esse óculos que poderia filmar e fotografar tudo o que a pessoa estava fazendo, porém a ideia acabou não dando certo, já que enfrentou muitos problemas relacionados com a privacidade de alguns locais e por isso, teve que voltar para as fases de análise e estudos de aplicabilidade.

O outro dispositivo vestível que podemos citar entre tantos, é o Apple Watch, que se conecta com a internet, recebe todas as suas mensagens, e-mails, receber e fazer ligações, praticamente como um smartphone, mas que também não foi o sucesso esperado, muito pelo tamanho pequeno da tela.

A cada dia, mais pessoas estão conectadas e essa tendência só vai continuar aumentando, como indica uma pesquisa da Euromonitor com as principais tendências de consumo e das pessoas para o próximo ano.

A pesquisa aponta que neste ano a Internet terá mais de 168 milhões de pessoas conectadas, maior número registrado até hoje. Você pode ver um resumo desta pesquisa clicando aqui.

Como todas as inovações que surgem, a Internet das Coisas ainda é um campo muito aberto e que está em pleno desenvolvimento, mas que ainda necessita de muito estudo e trabalho para explodir de forma mundial, ajudando a tornar o nosso mundo muito mais prático através dessas novas tecnologias.

Quer saber mais sobre tecnologia, inovação e como tudo isso torna o nosso mundo muito mais prático? Então entre em contato com a Rang através do nosso site e da nossa página no Facebook e vamos conversar.